21 de agosto de 2019

Combate a criminalidade. Motivos para comemorar

A comemoração é valida sim. Não pela morte do marginal em si, mas pela salvação das 37 vidas que estavam no ônibus. E quantas mais podem ter sido salvas no futuro. Era só dar uma olhada na ficha criminal que veria que em pouco tempo esse marginal estaria nas ruas e faria mais vitimas.
A esquerda fala em tragédia e inclusive alguns de direita se compadecem do criminoso. Mas tragédia seria se as pessoas dentro do ônibus saíssem feridas ou mortas. Temos que aproveitar esse momento e acabar de vez com o discurso de vitimas da sociedade. São criminosos, pura e simplesmente.
Esse que foi alvejado pelo sniper teve em algum ou em vários momentos de sua vida a chance de fazer uma escolha. Optou pelo caminho da criminalidade. Foi neutralizado de forma brilhante e as 37 pessoas do ônibus foram poupadas e tem a chance de seguir suas vidas, voltarem para suas famílias, fazerem escolhas melhor do que o bandido.
Os números de homicídios tem diminuído desde o começo do novo governo e apos esse tipo de combate à criminalidade a tendencia é que diminua mais ainda, afinal como diz o ditado; quem tem ** tem medo.
Guilherme Palma

15 de julho de 2019

A Reforma de Rodrigo Maia


Fhc tentou, Lula tentou, Dilma tentou, Temer tentou, mas todos falharam na reforma da previdência. Pelo menos com tantas alterações relevantes nenhum deles conseguiu. Bolsonaro trouxe com ele Paulo Guedes, consagrado por sua história de sucesso no mercado financeiro. E Guedes reuniu uma equipe de técnicos de renome internacional para elaborar a reforma da previcência. E isso foi o desequilíbrio da balança para a vitória de Bolsonaro.

Paulo Guedes e sua equipe mergulharam nos estudos mais modernos e sofisticados sobre sistemas de previdência, experimentando vários modelos aplicados à conjuntura socioeconômica brasileira. Rodaram o país e o exterior apresentando seu projeto para desencalhar o Brasil.

Guedes foi ao Senado, foi à Câmara e falou por horas e horas sobre cada detalhe da sua plataforma econômica. Suportou todas as provocações, xingamentos, grosserias, gritos de todos os parasitas do PT, Psol e genéricos. E devolvia sempre a mesma resposta; uma aula de como salvar o país. Rodrigo Maia e o centrão, recheado de parasitas que não abrem mão de aposentadoria especial, falando que o governo é uma usina de crises.

O trabalho de PG e equipe foram tão impressionantes que milhares foram às ruas em favor da aprovação da Reforma da Previdência, mesmo sabendo que ia ser amarga, mas no final era essencial. E aconteceu algo inédito para um ministro da Economia; Paulo Guedes teve seu nome gritado pelo povo nas ruas, tal a força e clareza demonstradas por ele em sua cruzada pela modernização do país.

Aí Rodrigo Maia com um sorriso largo no rosto deu sua benção para a reforma da previdência. O centrão celebrou e elegeu Maia como salvador da pátria. Este soltou lágrimas de – crocodilo - emoção pela singela homenagem dos nobres colegas. A imprensa amiga corroborou essa versão. Agora estou só contando o número de babacas e desonestos dizendo nas redes sociais que a reforma só vai sair por causa do Rodrigo Maia.

Guilherme Palma

25 de junho de 2019

Futebol feminino e a hipocrisia

Aos recém amantes do futebol feminino, que acusam todos que não gostam de machistas, queria lembrar que dia 10 de julho começa o Brasileirão Feminino. Então quero convidar vocês a assistirem para provarem que não são hipócritas oportunistas.

Em tempo. Enquanto não assistirem não venham pedir equiparação salarial com os homens, porque além de hipócritas estarão sendo burros.

Ah e só mais uma coisa. O publico nos estádios das França é composto em sua maioria por homens. Achei que deveriam saber disso.

Guilherme Palma


10 de junho de 2019

A dificil luta contra o fascismo imaginário

Para os guerreiros contrários ao fascismo imaginário o governo não anda porque é incompetente, não sabe articular, etc...

Não companheirinhos intelectuais (mas que tem uma visão míope pelo coletivo democrático). O fato é que vocês estão acostumados a governos que aprovam seus projetos via propinas e negociatas, leilões de cargos e omissão da justiça. Não tem acontecido mais isso e vocês ficam frustrados. 
Afinal o que vai ser do ideal revolucionário de vocês!?

Guilherme Palma

1 de junho de 2019

Messi o maior de todos os tempos??

Rapaz...Romário em uma seleção limitada na Copa, com 4 ou 5 brucutus em companhia fez cinco gols, participou de outros seis e trouxe o caneco. Ronaldo Fenômeno com o joelho estourado e acabado para o futebol meteu 8 gols na Copa e ainda trouxe o caneco.

E a molecada da era do Youtube vem me falar que Messi é melhor que Pelé? Se juntar Romário, Ronaldo e Ronaldinho Gaucho (que também trouxe um caneco) nós teremos um Pelé.
Messi se conseguisse igualar Maradona (que também ganhou um caneco e quase sozinho) já estaria de bom tamanho para ele.

Guilherme Palma

31 de janeiro de 2019

O egocentrismo de Lula, o presidiário

Se havia alguma dúvida que Lula, além de bandido, é um canalha egocêntrico agora foi confirmado. Se ainda assim você gritar "Lula livre" além de babaca, como bem disse Cid Gomes, você também é desonesto.

Estava na cara. O homem fez comício e cuspiu nas leis, democracia e constituição sobre o túmulo da esposa porquê não faria o mesmo no funeral do irmão? Como não poderia discursar, dar entrevista e ficaria restrito a uma unidade militar Lula, o presidiário, preferiu ficar encarcerado ao invés de visitar parentes e amigos.

Se ele não pode ser o centro das atenções não interessa. Lula, o presidiário, só ama três coisas na vida. Dinheiro, poder e sua voz.


Guilherme Palma

6 de dezembro de 2018

A esquerda do lado errado da história

Lembro muito bem quando Lula ganhou em 2002 pela primeira vez. Eu que não havia votado nele lamentei. Mas rezei  para que fizesse um bom governo e que os sinais sobre ele e o PT estivessem errados. Dei o benefício da dúvida.
Foi assim em 2006, 2010 e até mesmo na reeleição de 2014 da Dilma, quando não havia dúvidas que o governo dela ia ser um desastre, uma calamidade pública. Eu torci e rezei para que desse certo. Claro, moro aqui e não quero que algo dê errado apenas para provar meu ponto de vista, para que o partido e candidato que eu não gosto se deem mal.
Hoje vejo os inimigos de Bolsonaro, os inimigos dos conservadores torcendo para que ele faça um péssimo governo. Que o Brasil afunde em uma crise, que o nosso país entre em uma recessão só para que depois eles possam dizer: Eu avisei.
Essa é a diferença entre a esquerda e o resto das pessoas. Ela quer ter razão, ela não quer a verdade. Ela quer o que acredita e defende pouco importando os meios para atingir. Não sabe a diferença entre oposição e sabotagem. Para a esquerda a verdade é relativa e fatos uma imposição.
Isso só confirma o que sempre defendi. A esquerda esta do lado errado da história. Sempre esteve. A esquerda apoia regimes ditatoriais e genocidas, mas é contra o trabalho, contra a liberdade, contra o mérito da conquista, contra a fé das pessoas. A esquerda é um parâmetro para fazer a coisa certa. A esquerda é contra? Pode fazer que é bom e vai dar certo.
Guilherme Palma

4 de dezembro de 2018

Cristão opressor

O pai chega para o filho de 10 anos de idade e diz:
- Meu filho. Algumas coisas que você precisa saber para enfrentar a vida:

Amar e buscar a Deus.
Não roubar.
Não matar.
Trabalhar muito para conquistar as coisas.
Respeitar as pessoas e o espaço delas. Lembre-se que a sua liberdade termina quando começa a do seu próximo.
Amar e proteger sua família ensinando bons valores aos seus filhos.
Ser forte em todos os momentos de dificuldade da sua vida.

De acordo com a esquerda, desse pequeno interlóquio entre pai e filho nasceu mais um cristão opressor.

Guilherme Palma

13 de novembro de 2018

Adeus Stan Lee e muito obrigado!


Esse homem me fez sonhar. Desde a mais tenra infância. Mesmo antes de eu saber ler e escrever. Meu pai comprava revistinhas do Homem-Aranha e do Incrível Hulk só para eu ficar olhando as figurinhas. Eu escalava paredes, jogava teia de aranha pela casa inteira, prendia bandidos e tirava fotos para vender ao meu editor no jornal onde eu trabalhava. O Clarim Diário. Eu como Incrível Hulk dava saltos de quilômetros de distancia. Dava murros esmagadores no chão que abriam crateras, urrava tão alto que isso por si só assustava os vilões e assustava minha mãe que falava para meu pai "não era bom levar esse menino no médico?”.
O tempo passou, eu aprendi a ler e fui descobrindo quem era esse tal de Stan Lee. E passei a descobrir mais sobre o mundo mágico que ele criou e fiquei ávido por conhecer outros super-heróis.  Conheci o Capitão América e achei fascinante como ele sempre fazia a coisa certa, não importando as dificuldades. Um homem de uma nobreza impressionante e um patriotismo contagiante. Não para me fazer amar os EUA, mas sim dar valor a minha pátria. Logo estava arremessando escudos pela casa. Mas aí conheci Thor, o Deus do Trovão e logo estava arremessando Mjolnir, meu poderoso martelo que me fazia controlar as tempestades. Fui também o Homem de Ferro. Um playboy milionário e filantropo que sem ninguém saber vestia uma poderosa armadura e enfrentava o crime.
Quando já era adolescente fui conhecer os X-MEN. E um novo horizonte se abriu para mim. Até então o mundo na visão de Stan Lee e na minha era maniqueísta. Ou seja, era dividido em bom e mau. Os super-heróis não tinham tantos dilemas e conflitos internos, pegava-se os bandidos, sem provocar a morte dos mesmos, o bem vence sempre e ponto final. Não havia questões sociais inseridas nas estórias. A começar pela figura de Charles Xavier, o fundador e mentor do grupo, que era claramente inspirado em Martin Luther King que era contra rótulos raciais e sim que deveríamos viver em harmonia como iguais. O personagem Logan, Wolverine, que era um homem que matava muitas vezes e vivia tentando controlar seu temperamento explosivo e animalesco.
Stan Lee foi um gênio criativo. Seja  apenas entretendo, despertando o gosto pela leitura, mas também apresentando para crianças em formação questões importantes. O respeito pelo que é diferente, o moralismo do Capitão América que mesmo soando meio piegas é justamente o que esta em falta hoje em dia. A luta do Homem de Ferro para combater o alcoolismo. Um universo de complexidades que levaram gerações de crianças a procurarem o dicionário para descobrir palavras novas que encontravam nas estórias, levavam crianças a debater questões sociais com os pais e de certa maneira incutindo na cabeça delas a necessidade de se fazer o bem, a coisa certa.
O legado dele vai durar. A maior prova disso é que quando foi lançado o filme do Homem-Aranha em 2002 meu pai ficou encantado e me disse: “Você não sabe como eu sonhava em ver isso quando era criança”. Stan Lee descanse em paz. A sua missão foi cumprida e muito a contento. Muito Obrigado.
Guilherme Palma

25 de outubro de 2018

Acuse-os do que você é

Bolsonaro é machista, mas se uma mulher declara voto para ele é chamada de burra.
Bolsonaro é racista, mas se um negro declara voto para ele dizem que ele tem síndrome de vira lata.
Bolsonaro é homo fóbico, mas se um gay declara voto para ele é ofendido e escorraçado das redes sociais, com ofensas que não ouso reproduzir aqui.
Bolsonaro é fascista, mas foi esfaqueado, em um claro atentado contra a democracia por surgir como uma alternativa.

Os críticos de Bolsonaro ficam repetindo aos eleitores do Bolsonaro: "vai estudar", mas eles mesmos se recusam a tentar entender porque Bolsonaro se tornou um fenômeno de popularidade entre gays e heterossexuais, homens e mulheres, ricos e pobres, negros e brancos.
Críticos do Bolsonaro não entendem e não aceitam que a população não quer ser dividida nesses rótulos.

Por esses motivos e também pela classe política e imprensa quase que em sua totalidade serem contra Bolsonaro que ele se tornou uma alternativa.


Guilherme Palma