30 de abril de 2010

2018. O ano da descoberta

O ano é 2019. A humanidade esta a beira de um colapso. Cada vez mais americanos abandonam os Estados Unidos. Nações do mundo inteiro cobram uma explicação americana. Rússia, Inglaterra, Japão, França, China e assim vai. Mas a explicação não existe.

“Um império se ergueu em cima de uma mentira. Agora a farsa acabou. O segredo foi revelado e a derrocada é iminente.” Frase dita pelo imperador chinês. Represálias e boicotes vindos de todos os lados, até dos países mais pobres. Os EUA estão em estado de decadência.

Muito se discutiu sobre a ida do homem à lua, mas nunca deu-se importancia para tais discussões. Foram tantas viagens em um curto período de tempo. De repente sem mais nem menos deixaram de ir a Lua. A explicação era uma só. A Rússia foi perdendo a força. A moral e orgulho dos americanos estavam em alta. O objetivo tinha sido atingido. Afinal, venceram a corrida espacial e recuperaram o prestigio perdido com a Guerra do Vietnã. E fizeram todo o mundo acreditar que a Lua era inútil e criando uma desistência por parte de outras nações de irem lá e descobrir a verdade.

Em 1969 não havia tecnologia para uma propulsão de decolagem eficaz para o módulo de vôo. O módulo não conseguiria decolar devido à baixíssima gravidade lunar, acoplar no espaço e pousar na Terra. Uma geringonça de fragilidade incapaz de suportar trepidações e voar de forma ordenada. Muito menos condições de Neil Armstrong se comunicar em tempo real com o presidente americano Nixxon. Em 2018 existiria. Portanto, a viagem foi marcada para o dia 16 de novembro.

Sem ninguém saber a China se antecipou e lançou uma espaçonave e chegou à lua no dia 04 julho de 2018 (será que foi coincidência essa data?) e fez imagens estarrecedoras da lua. Destroços de todos os módulos que foram em viagens anteriores a lua. Restos de esqueletos presos em ferragens. Esqueletos que foram colhidos para analise e parecem ser de astronautas que estiveram nas Apollos 14, 15 e 16.

Cientistas chineses afirmam que a Apollo 11 e 12 nem pousaram na lua. Ficaram apenas em órbita para enganar as pessoas. E as imagens que se tem da lua dessas viagens parece confirmar a hipótese outrora absurda de que um cineasta teria forjado as imagens no deserto de Nevada.

Imagens do mundo inteiro mostram pessoas erguendo cartazes com os dizeres: ”Eu sempre soube”. Até quem não era antiamericano agora reverteu. O mundo islamico celebra os acontecimentos, pois sempre diziam que os Estados Unidos eram infiéis mentirosos.

Guilherme Palma

- Eu sempre soube, mas meus amigos davam risada quando eu falava sobre isso.

- A Fraude do Século XX

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião. Critique, comente a vontade. Comentários com palavrões serão excluídos.