10 de junho de 2010

As danças mais marcantes do cinema - III

Depois de As danças mais marcantes do cinema Parte 1 e Parte 2 vamos dar continuidade. Lembrando mais uma vez que o critério de seleção das danças e ordem de postagem é pessoal. Se alguém quiser dar sugestões, por favor escrevam nos comentários.

- Quero ser grande de 1988. Tudo bem. Não chega a ser uma dança propriamente dita. Mas tem movimentos ritmados e sincronizados de acordo com a música. Qual criança que assistiu a esse filme e não queria ter um piano gigante em casa? A música o “Bife” estava em alta devido ao comercial do iogurte Danoninho® com o slogan “Vale por um bifinho”. Sendo assim, a cena do filme foi um sucesso imediato. Tom Hanks ainda era jovem, mas já demonstrava ter maturidade (ou melhor imaturidade, pois interpretava uma criança em um corpo adulto) e indicava o quão grande seria.

- Grease de 1978. Novamente John Travolta. É um filme que soa bobinho nos dias de hoje, mas é dos anos 70 e na época era diferente. Retratou muito bem os anos 50. A principio eu colocaria somente a canção Summer Nights, mas seria injusto não incluir “You’re The One That I Want” como complemento. Além das danças serem ótimas e músicas idem, vale ressaltar a afinidade entre Travolta e Olivia Newton John. Mais um detalhe. As vozes nas canções são dos atores mesmo.



- Fantasmas se divertem de 1988. Esse ano foi mágico para lançamento de filmes que viriam a ser campeões de audiência na Sessão da Tarde nos anos 90. Foi uma das cenas de dança mais hilárias que já vi. Esse filme fez um sucesso tremendo na época. A partir daí que Winona Ryder começou a despontar – se não me engano era o 3º filme dela. Michael Keaton estava impagável na pele de Beetlejuice ou Besouro Suco se preferir. Tornou-se um ícone pop na época.

Semana que vem tem mais.
Guilherme Palma

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião. Critique, comente a vontade. Comentários com palavrões serão excluídos.