1 de agosto de 2016

O Mito da Minoria Radical Muçulmana

O Papa diz que é injusto associar o Islã ao terrorismo, pois uma minoria é radical. Mas o radicalismo não é feito somente de terroristas. Pesquisas realizadas em vários países com alta concentração de muçulmanos, a grande maioria apóia a implementação da Sharia. Mutilações, apedrejamento de mulheres, homossexuais, castrações, e por aí vai.
Muitos também acham justificável atentados com vítimas civis. Se a grande maioria não fosse radical se uniriam a algumas vozes solitárias de muçulmanos espalhadas pelo mundo. O terrorismo não precisa somente de homens bomba e quem os treina. Basta declarar apoio moral, financeiro e religioso e muitas vezes o próprio silêncio já é o suficiente.
Se não fosse dessa forma o que justificaria pessoas que nem foram nascidas em países ou sob ensinamentos islâmicos se juntarem a eles, como é o caso de alguns brasileiros presos poucos dias atrás por suspeita de terrorismo. Como diz Ben Shapiro no vídeo abaixo, a questão não é se o Islamismo é violento e sim no que seus seguidores acreditam, pois é segundo suas crenças que eles agem. Basta ver o Antigo Testamento e quanta violência suas páginas contém. Se fosse assim, teríamos cristão e judeus apedrejando mulheres adulteras o tempo todo.
Guilherme Palma

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião. Critique, comente a vontade. Comentários com palavrões serão excluídos.